• 26 Jul 2021

Saiba como a inteligência emocional pode ajudar seu filho

O que é a inteligência emocional? Como o próprio nome diz, é um conceito que está relacionado às emoções e a como lidar com elas. Em geral, pessoas que possuem esse conjunto de habilidades tendem a enxergar o lado positivo das situações, a superar as dificuldades e frustrações.

Reconhecer os próprios sentimentos, compreender os dos outros e saber como lidar com tudo isso é o que a psicologia chama de inteligência emocional (QE) – e ela é tão importante quanto o quociente de inteligência (QI). Muitos pais almejam que seus filhos sejam considerados os melhores e consigam suas vitórias, mas nem todos os filhos conseguem lidar bem com críticas e derrotas, por exemplo.

Para a nossa psicóloga Paula Souza, “é possível constatar que o mundo contemporâneo vem exigindo de diversas formas uma mudança no repertório do desenvolvimento educacional. Parece óbvio, que apenas os conhecimentos acadêmicos não garantem que alguém seja bem sucedido”.

Sobre é a necessidade de desenvolver outros aspectos importantes, ela afirma que “a proatividade, a flexibilidade, a empatia, a autogestão, a perseverança, ou seja, desenvolver as habilidades socioemocionais, podem permitir ao sujeito a construção de caminhos para enfrentar os desafios que despontam na sua trajetória de vida”.

Veja algumas maneiras de auxiliar seu filho na busca da QE:

Identificando as emoções

O primeiro passo é aprender a identificar e a reconhecer as emoções. É assim que começamos a lidar com elas. É preciso nomear os sentimentos. Então, quando os filhos experimentam sensações de  alegria, raiva, tristeza, medo, frustração, por exemplo, os pais devem ajudá-los a entender que é normal sentir-se daquela forma.

Vivendo as frustrações

O instinto protetor pode acabar atrapalhando os filhos nas batalhas que eles precisam viver ao longo da infância e adolescência, o que impede que eles aprendam a lidar de maneira natural com as frustrações. O estímulo às práticas esportivas, proporcionando a convivência com outras crianças, pode ser um bom caminho para incentivar a resiliência.

Dando o exemplo

Educar pelo exemplo faz toda a diferença, porque as pessoas aprendem muito mais pelo que veem do que pelo que ouvem. Tente não perder o controle na frente do seu filho, mas compartilhe como se sente nas situações. Se não conseguir se controlar, peça desculpas e aproveite para exemplificar os sentimentos e nomear emoções.

Expressando as emoções

Alternativas para extravasar as emoções são estratégias importantes para melhorar a inteligência emocional do seu filho. Você pode ensinar maneiras de canalizar a energia para coisas boas. Leve-o para dar uma volta ao ar livre, deixe-o correr, andar de bicicleta, praticar esportes, fazer desenhos demonstrando o que está sentindo etc.

Em apenas um texto é impossível criar um passo a passo perfeito para a formação da inteligência emocional, mas você pode dar o pontapé inicial começando com essas pequenas lições que colocamos acima!

Comentários